PAZ NO RIO de JANEIRO

A RELAÇÃO GOVERNO-SOCIEDADE EM TEMPOS DE CRISE

A estatística oficial da violência no Estado do Rio de Janeiro revela que estamos vivendo uma grave crise social que demanda uma reavaliação da relação do governo com a sociedade. Entre Janeiro de 2007 e Agosto de 2008 houve 2.179 autos de resistência, 9.835 homicídios dolosos, 7.835 casos de desaparecimento, 47 policiais mortos em serviço, 338 roubos seguidos de morte e 121. 729 lesões corporais dolosas. Provavelmente chegaremos ao final do presente ano à surpreendente marca de 20.000 mortes violentas em apenas 2 anos. Esse cenário de violência com seus respectivos números, denunciadores da nossa profunda patologia social, são dignos da atenção e mobilização do todo da sociedade – governo e governados. Considere sua magnitude, pense no valor que profana, reflita sobre sua longa trajetória histórica e procure mensurar a dor dos parentes das vítimas dessas mortes.

A que conclusão chegamos quando paramos para meditar seriamente sobre esse derramamento sem fim de sangue humano? Vivemos dias dos quais nos envergonharemos. Mas, talvez você esteja dizendo: “Eu não tenho do que me envergonhar coisa nenhuma. Minhas mãos não estão sujas desse sangue. Nunca apertei gatilho para matar ninguém. Não venha lançar sobre a minha vida a culpa dos nossos maus governantes e dos canalhas dos marginais que infernizam a vida de pessoas de bem. Trabalho, voto, pago meus impostos e cumpro a lei”.

O TEXTO ORIGINAL CONTINUA EM NOSSO ARQUIVO


Antônio Carlos Costa
Presidente do Rio de Paz